A partir da sede da Proteção Civil onde está a acompanhar a situação dos incêndios e em particular o de Pedrógão Grande, no distrito de Leiria, António Costa fez um ponto de situação pouco depois das 2 horas da madrugada e confirmou que o número de vítimas mortais subiu para 24. O primeiro-ministro adiantou também que Portugal irá contar com o apoio de dois Canadair de Espanha “para um ataque forte e reforçado ao início da manhã”.

Também em declarações aos jornalistas esta madrugada, o presidente da Câmara de Pedrógão Grande, Valdemar Alves considerou que o número de vítimas do incêndio que ainda se mantém ativo deverá aumentar nas próximas horas. “Tenho quase a certeza que o número de vítimas vai ser superior”, afirmou o autarca que se mostrou convencido de que o número de mortos pode ser “mais do dobro” dos 19 inicialmente anunciados.

De acordo com o autarca, há aldeias que ainda “não tiveram a devida inspeção pelos bombeiros”, sendo que o concelho tem muita “população muito idosa” e “não se conseguiu chegar a certos lugares por causa de o fogo” ter bloqueado estradas nacionais e municipais. Face a um incêndio alimentado por um vento “galopante”, sublinhou, algumas pessoas poderão não ter tido tempo para fugir.

Algumas das vítimas já confirmadas “serão do concelho”, outras poderão ser visitantes “ou que emigraram de Pedrógão [Grande]”, acrescentou. Para Valdemar Alves, hoje “era impossível” travar as chamas, face ao vento muito forte e às temperaturas muito altas. No entanto, sublinhou que é necessário “políticas para gestão da floresta”.

Questionado sobre o que correu mal, Valdemar Marques disse que o correu mal foi ter existido um incêndio como o que deflagrou, considerando “era impossível fazer melhor" face às condições climatéricas, nomeadamente ao vento forte que se fez sentir.

Sobre as vítimas, adiantou também que algumas poderão pertencer à mesma família.

Segundo a página da Proteção Civil na internet, as operações mobilizam 648 operacionais e 211 viaturas.

A SIC Notícias avança, entretanto, que o Governo irá decretar três dias de luto nacional.

Notícia atualizada às 7h46

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.