O fogo "não está contido, nem estabilizado, nem controlado", declarou este domingo o presidente regional das Canárias, Ángel Víctor Torres, citado num comunicado oficial.

Os serviços de resgate já evacuaram Cruz de Tejeda, uma localidade montanhosa famosa pela vista, situada no centro da ilha, assim como um hotel de luxo próximo. Torres advertiu para a possibilidade de que mais locais precisem de ser evacuados.

Mais de 600 operacionais e 11 meios aéreos combatem as chamas, que levaram ao bloqueio de mais de dez estradas desta ilha do arquipélago das Canárias, no oceano Atlântico.

As temperaturas altas, o vento e a baixa humidade dificultam o trabalho dos bombeiros.

"As próximas horas são muito importantes, já que a previsão meteorológica não é boa para a noite (de domingo) e existe o perigo de que possa entrar na zona de pinheiros", uma reserva de árvores nativas, acrescentou Torres.

Este incêndio começou cinco dias após os bombeiros conseguirem conter outro foco na mesma região do arquipélago e que também implicou a retirada de centenas de pessoas.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.