As equipas que trabalham no terreno estão a enfrentar dificuldades com o vento, que atinge até 70 quilómetros por hora.

O Presidente do executivo regional das Ilhas Canárias, Ángel Víctor Torres, informou numa conferência de imprensa que houve uma reativação do fogo em áreas que este já parecia dominado.

O responsável também explicou que, embora o fogo nos municípios de Artenara e Gáldar esteja mais controlado, a frente que sobe de Tejeda para La Aldea, está ativa e descontrolada.

De acordo com o serviço de emergência, oito helicópteros e um avião, vindos de vários locais, estão a ajudar no combate ao incêndio.

Um helicóptero da Guarda Civil está a coordenar os diferentes meios aéreos.

Com os ventos fortes e após uma noite “muito dura”, o perímetro do fogo ainda tem 23 quilómetros de extensão e o presidente das Canárias enfatizou que nenhum dano pessoal ocorreu, embora haja algumas casas afetadas.

As quase mil pessoas que permanecem deslocadas, incluindo os moradores de Tejeda que foram retirados na madrugada de hoje, não voltarão às suas casas até que a sua segurança esteja garantida, disse Torres, que alertou sobre a chegada próxima à ilha de uma onda de calor.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.