De acordo com o autarca Rogério Fernandes, o incêndio no concelho da Sertã encontrava-se pelas 22:30 de hoje com “o máximo de três quilómetros de frente ativa”, lavrando apenas em zona de mato, sem ameaçar habitações.

“O fogo evoluiu um bocado derivado ao vento que se levantou ao fim do dia, mas agora com o cair da noite vem sempre mais alguma humidade e estou esperançado que as coisas fiquem resolvidas”, declarou o vice-presidente da Câmara da Sertã.

Rogério Fernandes, porém, mostrou-se cauteloso e lembrou que “ainda a noite passada praticamente esteve dominado, o problema são os reacendimentos que aparecem, devido a manta morta que fica e que quando se levanta o vento volta a reacender”.

“Vamos ver o que o dia de amanhã [quinta-feira] nos reserva”, afirmou o autarca, convicto que o fogo seja mesmo dominado esta noite, pelo que a preocupação é impedir os reacendimentos.

No terreno estão seis máquinas de rasto para ajudar no combate ao fogo.

O incêndio deflagrou na tarde de domingo no concelho da Sertã (distrito de Castelo Branco) e alastrou a Proença-a-Nova, bem como ao concelho de Mação (distrito de Santarém), onde ainda continua a lavrar com intensidade.

Segundo a página na internet da Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC), às 22:50 estavam no terreno a combater o fogo da Sertã 1.158 operacionais, apoiados por 363 meios terrestres.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.