Depois de um atenuar da situação a meio da manhã, quando o fogo chegou a ter apenas uma frente ativa, os reacendimentos verificados entretanto voltaram a implicar o combate às chamas em quatro faces, pelo que às 17:30 o fogo estava a ser combatido por 423 bombeiros, 127 meios terrestres e três aeronaves

"Estamos com um problema muito sério para resolver porque o incêndio ficou com uma nova frente, em resultado dos ventos muitos fortes e da propagação para poente, e o fogo está a atingir uma dimensão muito grande, muito intensa, com os meios aéreos a concentrarem-se neste local", declarou à Lusa o presidente da autarquia e responsável pelo serviço local de Proteção Civil, Joaquim Jorge Ferreira.

O autarca disse que "não há pessoas em risco", com o Comando Distrital de Operações de Socorro de Aveiro a confirmar que só foi evacuada uma habitação isolada destinada a armazenamento de alfaias agrícola, mas admite que a defesa da população irá implicar "atenção redobrada durante a noite, na tentativa de se antecipar a orientação do fogo e procurar garantir que ele não evolui para zonas habitadas".

Referindo que "continuam a chegar ao local diversos meios" de combate ao fogo, Joaquim Jorge Ferreira acrescenta: "Isto ainda está para durar".

Incêndio em Esposende dado como dominado às 17:45

Mais a norte, o incêndio que desde as 06:00 lavra em Esposende, distrito de Braga, foi dado como dominado às 17:55, depois de na última hora o combate ter tido "uma evolução muito favorável", disse à Lusa fonte da Proteção Civil.

Das três frentes deste incêndio, pelas 16:20, apenas uma permanecia ativa, tendo sido combatida por um meio aéreo e 108 bombeiros, apoiados por 36 veículos, informou a página da Proteção Civil na Internet.

O incêndio deflagrou pelas 06:11, na freguesia de Palmeira de Faro e Curvos, no concelho de Esposende, tendo decorrido essencialmente em espaço florestal, não tendo durante o combate "se registado qualquer ferimento" entre os bombeiros que fizeram o combate.

A autoestrada A28, entre os nós de Esposende e Antas, esteve cortada ao trânsito durante cerca de oito horas, tendo sido reaberta cerca das 16:00, disse fonte municipal.

Em declarações à Lusa, Júlio Melo, técnico de Proteção Civil da autarquia e adjunto do Comando dos Bombeiros de Esposende, disse que, devido ao fumo do incêndio, as duas escolas do Agrupamento de Marinhas foram evacuadas esta manhã.

De acordo com informação disponível na página da Internet do Agrupamento de Escolas António Rodrigues Sampaio, "devido à deflagração de um incêndio nas proximidades das escolas básicas António Rodrigues Sampaio e de Rio de Moinhos, a Proteção Civil e a Direção da escola tomaram a decisão de evacuar" os estabelecimentos de ensino.

"Como tal, as escolas encontram-se encerradas durante o dia de hoje, retomando a sua atividade normal no dia de amanhã, se as condições o permitirem", acrescenta a nota informativa.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.