O Núcleo de Proteção Ambiental da GNR de Coimbra colaborou na investigação que conduziu à detenção do homem, acusado de ter usado "chama direta" para iniciar um incêndio numa zona florestal de eucaliptos e mato, junto a uma central fotovoltaica e próximo de habitações.

O incêndio consumiu uma área de 1.500 m2 e teria tido "proporções mais gravosas", caso "não tivesse havido uma rápida intervenção dos bombeiros", relatam as autoridades.

"A atuação do suspeito colocou em perigo a integridade física e a vida de pessoas, bem como habitações, a grande mancha florestal e a central fotovoltaica", refere a PJ de Coimbra.

O detido foi presente hoje a um primeiro interrogatório judicial, tendo sido sujeito à medida de coação de prisão preventiva.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.