Numa nota que descreve os passos seguidos pela Força Aérea no uso das suas competências no âmbito do Sistema de Busca e Salvamento Aéreo, é explicado que foi pelas 19:40 que "a NAV [Navegação Aérea de Portugal] informou que o Helisul 203 “callsign” do helicóptero do INEM, em operação na zona de Valongo, não reportava posição há algum tempo".

Mas o EH-101 Merlin da Força Aérea só levantaria do Montijo às 21:35.

"O Centro de Busca e Salvamento de Lisboa (RCC Lisboa), da Força Aérea, contactou então a Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC) que informou não ser conhecedora de qualquer ocorrência", acrescenta o comunicado.

São depois relatados outros contactos, nomeadamente para a GNR de Baltar - "que informou não ter conhecimento de qualquer ocorrência", para a GNR de Massarelos, "mas o telefone estava indisponível".

Também foi feito contacto para o Comando Territorial da GNR do Porto, e daí "é informado que não haveria conhecimento de qualquer ocorrência".

Mas é através da GNR que o Centro de Busca e Salvamento fica a saber que um popular, através de um telefonema, tinha relatado “ter ouvido um barulho estranho”.

É pelas 20:14 que a Força Aérea altera o estado de prontidão do EH-101 de alerta na Base Aérea N.º 6 – Montijo de 45 minutos para 15 minutos em preparação para ativação.



A ANPC informou, pelas 20:26, a Força Aérea que um popular reportou um estrondo entre a Serra de Pias e a Serra de Santa Justa.

É o próprio Centro de Busca e Salvamento que entra em contacto com o popular e este diz que viu passar o helicóptero e que de seguida ouviu um estrondo naquele local.

Às 20:37, refere a mesma nota, foi ativado o Helicóptero EH-101 Merlin em alerta na Base Aérea N.º6 – Montijo e um minuto depois é informada a ANPC de que a Força Aérea vai enviar um EH-101 para a área de operações.

A informação sobre as últimas coordenadas SIRESP do telemóvel do piloto comandante do Helisul é dada às 21:33.

Dois minutos depois, o EH-101 Merlin descolou do Montijo em direção à zona de operações.

O helicóptero da Força Aérea já em operação na zona do concelho de Valongo, e após reportar condições meteorológicas muito adversas, dirigiu-se para o aeroporto Francisco Sá Carneiro (Porto), onde aterrou e ficou a aguardar melhoria das condições meteorológicas.

Às 01:44 de domingo, a ANPC informou a Força Aérea que pelas 01:29 foram localizados os destroços da aeronave do INEM e às 03:12 o EH-101 Merlin descolou do Porto em direção ao Montijo, onde aterrou pelas 04:43.

A Força Aérea termina o comunicado lamentando a perda de vidas em serviço, dos pilotos, médico e enfermeira, que este sábado cumpriam mais uma missão de emergência médica ao serviço do INEM.

"Com profundo pesar, a Força Aérea manifesta Sentidas Condolências às famílias, amigos e aos nossos camaradas do INEM", conclui.

A queda de um helicóptero do INEM, ao final da tarde de sábado, no concelho de Valongo, distrito do Porto, causou a morte aos quatro ocupantes.

A bordo do aparelho seguiam dois pilotos e uma equipa médica, composta por médico e enfermeira.

O Governo determinou à Proteção Civil a abertura de um “inquérito técnico urgente” ao funcionamento dos mecanismos de reporte da ocorrência e de lançamento de alertas relativamente ao acidente com o helicóptero.

A avaliação preliminar dos destroços indica que a queda da aeronave aconteceu na sequência da colisão com uma antena emissora existente na zona, segundo o gabinete que investiga acidentes aéreos.

A aeronave em causa é uma Agusta A109S, operada pela empresa Babcock, e regressava à sua base, em Macedo de Cavaleiros, Bragança, após ter realizado uma missão de emergência médica de transporte de uma doente grave para o Hospital de Santo António, no Porto.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.