Apesar do desconfinamento gradual que irá começar a acontecer no próximo fim de semana no Reino Unido, a proibição de sair do país para viagens não essenciais poderá ser alargada e dará multas na ordem das cinco mil libras (ou 5792 euros). Atualmente, recorde-se, apenas é possível viajar por razões imperativas de trabalho, educação ou saúde.

A proposta legislativa entrou no parlamento na segunda-feira e será amanhã votada. Se aprovada, como esperado, entrará em vigor a 29 de março e durará até ao final de junho. A lei aplicar-se-á apenas ao território inglês, mas Escócia, País de Gales e Irlanda do Norte poderão seguir este exemplo.

"Estamos a ver esta terceira vaga subir em algumas partes da Europa e estamos também a ver novas variantes. É muito importante protegermos o progresso que conseguimos fazer aqui no Reino Unido", disse, à Sky News, Matt Hancock, ministro da Saúde inglês.

"Esperamos que dentro de poucos dias possamos dizer mais. Espero certamente poder dizer mais a 5 de Abril", disse ontem, numa conferência de imprensa, o primeiro-ministro inglês Boris Johnson.

Ainda assim, é esperado, afirma a Reuters, que esta legislação possa ser reavaliada e que a 12 de abril o Governo introduza um sistema de semáforos baseado no risco, onde os países serão classificados como "verdes" ou "vermelhos" para viajar.

O sector britânico de viagens perdeu mais de 45 mil empregos e o número de passageiros no maior aeroporto do país – Heathrow - caiu para o seu ponto mais baixo desde 1966.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.