Os resultados são provisórios e foram hoje divulgados no Inquérito ao Potencial Científico e Tecnológico Nacional, da Direção-Geral de Estatísticas de Educação e Ciência.

Em 2017 foram investidos 2.563 milhões de euros em I&D, incluindo recursos humanos, e o número de investigadores aumentou para 8,5 por cada mil habitantes, enquanto no ano anterior era de oito por mil.

No total, há 10,4 pessoas por mil habitantes a trabalhar no setor, indicam os números divulgados hoje.

Da despesa total investida, 51% foi feita pelo setor das empresas, seguindo-se o ensino superior, com 43%.

As empresas garantiram a maior parte do aumento em relação a 2016, investindo mais 139 milhões no ano passado, enquanto no Ensino Superior se investiu mais 24 milhões do que em 2016.

O Estado e instituições privadas sem fins lucrativos asseguraram, respetivamente, 5% e 2% do investimento.

É a primeira vez desde 2002 que o investimento privado em I&D supera o investimento público.

De acordo com o Inquérito ao Potencial Científico e Tecnológico Nacional, a empresa que mais investiu foi o grupo Altice Portugal, com 86 milhões de euros, seguindo-se a NOS, Grupo Banco Comercial Português, Hovione Farmaciência e BPI.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.