O presidente do IPO-Porto, Laranja Pontes, explicou que a proposta, inédita na área da oncologia, quer “incluir ainda mais o doente no processo de organização e decisão dos cuidados de saúde e garantir aos mesmos uma entidade idónea e isenta a quem se possam dirigir com as suas sugestões, anseios e oportunidades de melhoria”.

Para concretizar este projeto, o IPO-Porto convida os seus doentes a apresentarem as candidaturas, com carta de motivação e elementos curriculares, a partir de segunda-feira e até dia 28.

“Embora faça parte do Plano Estratégico 2019/2021 do IPO-Porto, a criação deste órgão consultivo que manterá uma ligação direta e estruturada com o universo do doente, é mais uma etapa no caminho que temos procurado traçar para ir ao encontro das necessidades e dos anseios dos nossos doentes”, sublinhou Laranja Pontes.

Acrescentou que o lema do hospital é “As pessoas como força da mudança”, considerando que “só trabalhando como um todo se consegue mais humanização e mais qualidade nos cuidados de saúde. Pretende-se, acima de tudo, fortalecer a relação com o doente”.

A Provedoria do Doente será um órgão consultivo, designado por três anos, com uma dinâmica própria e que se pretende que tenha impacto nas decisões que impliquem alterações na organização dos cuidados de saúde ao doente no hospital.

Esta medida foi anunciada no âmbito do Dia Mundial da Luta Contra o Cancro, que se assinala na segunda-feira.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.