"A Unicef calcula que há pelo menos 20.000 crianças retidas na cidade", afirmou o representante no Iraque do Fundo das Nações Unidas para a Infância, Peter Hawkins. Na segunda-feira, as tropas iraquianas entraram na cidade, como parte de uma ofensiva iniciada a 23 de maio, e encontraram uma forte resistência do EI. Os poucos moradores que conseguiram escapar de Fallujah desde o início da ofensiva das forças governamentais afirmaram que a cidade sofre com falta de água potável e de alimentos. "As crianças correm o risco de recrutamento forçado para os combates", disse Peter Hawkins. "Os menores recrutados são obrigados a trazer armas para combater numa guerra de adultos. A sua vida e seu futuro estão em perigo", completou Hawkins.

A Unicef reiterou o apelo para a abertura de corredores seguros para que os civis, quase 50 000 pessoas, possam sair da cidade, que fica na grande província sunita de Al-Anbar. A ONU acusa o Estado Islâmico de utilizar os civis como escudos humanos na batalha contra as tropas iraquianas apoiadas pela coligação internacional liderada pelos Estados Unidos.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.