"Irei formar um governo que possa garantir estabilidade e levar o Reino Unido adiante neste tempo crítico para o nosso país. Este Governo vai guiar o país nas negociações cruciais sobre o Brexit, que começam em apenas dez dias e tirar o Reino Unido da União Europeia". É esta a garantia de Theresa May para os britânicos e foi o que transmitiu numa curta declaração aos jornalistas no final do encontro com Isabel II.

"O governo vai trabalhar para manter o nosso país seguro, vai levar a cabo as alterações que sugeri na sequência dos ataques em Manchester e Londres, combatendo a ideologia extremista do islamismo e de todos os que o apoiam, e vai dar às autoridades os recursos que precisam para manter o nosso país seguro", afirmou Theresa May.

May comprometeu-se a levar a cabo o Brexit, alcançando um acordo que sirva os interesses do Reino Unido e fala mesmo de um Governo de cinco anos.

"O que o país mais precisa neste momento é de certezas", disse May, reiterando por várias vezes esta ideia.

May considerou ainda que o Partido Conservador, com o apoio dos unionistas, é quem tem condições para governar o país.

"Tendo assegurado o maior número de votos e assentos parlamentares nas eleições gerais, é claro que os Conservadores e Unionistas têm a legitimidade para o fazer [para formar governo]".

"Vamos ao trabalho", disse, concluindo.

De madrugada, o sol nascia nos ceús de Londres sobre um parlamento repleto de incertezas. O Partido Conservador de Theresa May venceu as eleições gerais mas perdeu a maioria absoluta.

Declarados 649 dos 650 lugares na Câmara dos Comuns, o partido Conservador elegeu 318, menos oito do que os necessários para uma maioria absoluta e menos 12 do que antes das eleições. O partido Trabalhista adicionou 29 aos que possuía, somando 261 deputados. O Partido Nacionalista Escocês conquistou 35 lugares, os Liberais Democratas 12 (+4), o Partido Democrático Unionista (Irlanda do Norte) 10 (+2), o Sinn Féin sete (+3), os nacionalistas galeses do Plaid Cymru quatro (+1), os Verdes um e foi eleito um independente na Irlanda do Norte.

Face a estes resultados, May chegou a acordo com Partido Unionista Democrático da Irlanda do Norte  (DUP) para formar Governo, tendo ido pedir autorização à rainha para iniciar esforços nesse sentido.

De referir que o partido trabalhista de Jeremy Corbyn já anunciou a intenção de vir a formar e liderar um governo minoritário caso os esforços de May sejam em vão.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.