“Nas suas operações em Khan Younis, as tropas mataram terroristas do Hamas e atacaram dezenas de alvos terroristas”, disse um porta-voz militar, acrescentando que as forças “enfrentaram uma célula terrorista que emergiu de um túnel, matando dois terroristas em combate e destruindo” o acesso à rede subterrânea.

Durante as operações no campo de Jabalia, no norte de Gaza, “as tropas realizaram uma incursão dirigida a um complexo militar pertencente ao Batalhão Central” do Hamas, onde “vários terroristas foram mortos”.

Além disso, “as forças localizaram uma rede de túneis subterrâneos que saem do complexo, bem como uma área de treino e uma instalação de armazenamento de armas”, acrescentou.

Finalmente, nas últimas 24 horas, no âmbito das ações das tropas terrestres – que operam já em todo o enclave – “as forças navais israelitas atingiram instalações e infraestruturas militares do Hamas, utilizando munições e projéteis de precisão”.

Após o recente cessar-fogo, Israel voltou a atacar em força o enclave e alargou a sua ofensiva ao sul, onde já se encontram centenas de milhares de deslocados internos do norte e da cidade de Gaza. Estas duas zonas estão quase totalmente ocupadas pelo exército, que iniciou a ofensiva terrestre a 27 de outubro.

Os deslocados internos em Gaza são atualmente quase 1,9 milhões de pessoas, cerca de 80% da população total, de 2,3 milhões. Muitas das pessoas foram deslocadas nos últimos dias para Rafah, a cidade mais a sul do enclave.

Desde as primeiras horas da manhã de hoje, os contínuos bombardeamentos israelitas em diferentes pontos da Faixa de Gaza provocaram também dezenas de mortos, incluindo crianças e mulheres, segundo a agência de notícias oficial palestiniana, Wafa.

Os ataques visaram “dezenas de casas, edifícios, apartamentos residenciais e propriedades públicas e privadas”.

Os aviões israelitas bombardearam uma mesquita no bairro de al-Daraj, na cidade de Gaza, “causando pelo menos 12 mortos e dezenas de feridos”.

Os aviões israelitas bombardearam casas na Cidade Velha de Gaza, noutros bairros da Cidade de Gaza, noutras partes da Faixa de Gaza e na cidade central de Deir Balah. Esta ação “causou dezenas de mortos e feridos”, indicou a Wafa.

No total, pelo menos 16.200 pessoas foram mortas pelos ataques israelitas na Faixa de Gaza, enquanto cerca de 7.000 estão sob os escombros dos edifícios desmoronados, pelo que o número de mortos pode ser muito superior.

A guerra começou depois de um ataque do Hamas contra Israel, a 07 de outubro, que matou mais de 1.200 pessoas, e desde então o exército israelita tem levado a cabo uma grande ofensiva na Faixa de Gaza com o objetivo de “erradicar” o grupo islamita.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.