As autoridades israelitas decidiram fechar, na Cidade Velha de Jerusalém, um local de culto do local conhecido pelos muçulmanos como Santuário Nobre e pelos judeus como Monte do Templo, após o ataque em que três devotos muçulmanos mataram a tiro dois agentes da polícia israelita, tendo depois sido abatidos no local.

Durante a madrugada de hoje, a polícia levou a cabo uma operação de averiguações no local, tendo instalado detetores de metal nas entradas e mais câmaras de segurança, para garantir que não haverá mais armas introduzidas ilegalmente no recinto.

O ataque desencadeou uma rara conversa telefónica entre o primeiro-ministro israelita, Benjamin Netanyahu, e o Presidente da Palestina, Mahmoud Abbas, que condenou o ataque e defendeu a reabertura deste local de culto.

No sábado, dirigentes do Hamas em Gaza apelaram aos palestinianos para atacarem as forças israelitas, considerando o encerramento do local como “guerra religiosa”.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.