Segundo uma nota do gabinete do vereador da Câmara de Lisboa responsável pelo pelouro dos Direitos Sociais, Manuel Grilo (BE, partido que tem um acordo de governação da cidade com o PS), a linha de atendimento telefónico funcionará entre as 10:00 e as 00:00 e o atendimento presencial irá realizar-se das 10:00 às 18:00, com marcação prévia.

Na nota é salientado que a pandemia de covid-19 provocou “um agravamento da violência doméstica e de género”, sendo esta nova estrutura uma resposta da autarquia para “reforçar o apoio e acompanhamento destas vítimas, através de atendimento telefónico e presencial”.

A estrutura de atendimento é gerida pela Câmara Municipal de Lisboa, através do departamento dos Direitos Sociais, em colaboração com a Universidade Nova de Lisboa/Observatório Nacional de Violência e Género e com a coordenação técnica da FEM (Feministas em Movimento).

O projeto, é ainda referido no comunicado, conta com técnicos especializados, “com pessoas habilitadas e empenhadas neste combate” e com o acompanhamento do departamento dos Direitos Socais.

“A crise atual impunha este alargamento da resposta, porque nenhuma vítima de violência doméstica pode ficar para trás”, lê-se na nota.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.