Jerónimo de Sousa esteve em Oeiras para apoiar a candidatura da CDU à câmara municipal de Oeiras, liderada pela ex-deputada do PEV Heloísa Apolónia, que atualmente é vereadora sem pelouro na autarquia.

Perante cerca de 40 apoiantes da CDU, a maioria com bandeiras da coligação, Jerónimo de Sousa frisou que a situação socioeconómica do país foi agravada pela pandemia e insistiu que as medidas excecionais criadas pelo Governo para mitigar os efeitos económicos da pandemia nas famílias e empresas têm de continuar, sob pena do agravamento das desigualdades.

Vários desses problemas, sustentou, continuarão “durante os próximos anos” e os apoios sociais terão de se manter, no pós-pandemia, sob pena “de se aprofundarem os défices, as desigualdades e as injustiças”, defendeu.

O dirigente do PCP sustentou que as medidas excecionais criadas para “debelar os impactos” da pandemia “não podem desaparecer na totalidade e no imediato, ignorando as dificuldades pelas quais passam milhares de famílias e empresas”.

Oeiras, um concelho presidido pelo independente e antigo autarca social-democrata Isaltino Morais, que é recandidato ao cargo, tem na dirigente do PEV Heloísa Apolónia a única vereadora da CDU.

A Coligação Democrática Unitária (CDU) – composta pelo Partido Comunista Português (PCP), pelo Partido Ecologista “Os Verdes” (PEV) e pela Associação Intervenção Democrática – concorre a 305 câmaras nas eleições autárquicas de domingo.

Há quatro anos perdeu nove municípios para os socialistas e contabilizou o pior resultado em eleições autárquicas.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.