Os Washington Nationals conquistaram na quarta-feira a primeira 'World Series' de basebol da sua história, tendo sido convidados para uma celebração da vitória na Casa Branca, com Donald Trump.

No entanto, um dos jogadores, Sean Doolittle, fez saber que não irá ao encontro, por não se identificar com a "retórica de clivagem" do presidente norte-americano, relatou o jornal Washington Post.

"Não concordo com ele sobre várias coisas, em matéria de política, mas a minha decisão é motivada sobretudo pela retórica de clivagem no nosso país e o facto de ele apoiar teorias da conspiração", afirmou o jogador àquele jornal.

Sean Doolittle e a mulher têm trabalhado em apoio a refugiados sírios e a veteranos de guerra e apoiam publicamente os direitos da comunidade LGBTI (Lésbicas, Gays, Bissexuais, Transgénero e Intersexo).

A decisão de Sean Doolittle acontece meses depois de a futebolista Megan Rapinoe ter tomado a mesma decisão, depois de a equipa feminina de futebol americano ter conquistado o mundial da modalidade.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.