*o presente artigo inclui descrições de violência física e sexual, assim como linguagem que pode ser considerada imprópria para menores*

O que está em causa?

O ator Johnny Depp está a processar a ex-mulher, a atriz Amber Heard, por um artigo de opinião publicado no jornal Washington Post em dezembro de 2018, onde Heard se descreve como uma "figura pública que representa o abuso doméstico".

Heard não mencionou o nome de Depp no artigo, mas o ator processou-a por insinuar que este é um abusador, pedindo uma indemnização de 50 milhões de dólares para compensar perdas e danos.

A atriz contra-processou, pedindo 100 milhões de dólares e alegando ter sofrido "violência física e abusos desenfreados".

O testemunho de Amber Heard

A atriz Amber Heard disse em tribunal que o ex-marido, Johnny Depp, a agrediu sexualmente e ameaçou "cortar" a sua cara com uma garrafa partida durante uma acalorada discussão, um mês após o casamento, em 2015.

A atriz de "Aquaman", de 36 anos, relatou vários casos de supostos abusos físicos e sexuais por parte do protagonista de "Piratas das Caraíbas", nos dias em que se sentou no banco das testemunhas no julgamento em curso nos arredores de Washington.

Esta é a versão de Heard sobre um incidente que ocorreu em março de 2015 na Austrália, onde Depp filmava o quinto capítulo da franquia da Disney e sobre o qual testemunhou que uma "furiosa" Heard foi a agressora e que terá, inclusive, cortado a ponta de um de seus dedos com uma garrafa de vodka.

No entanto, a atriz disse que confrontou Johnny Depp pela sua forma de beber, tendo ele a desafiado a retirar a garrafa das suas mãos.

"Eu agarrei-a e atirei-a para o chão, no meio de nós", contou. "Isso enfureceu-o", disse, acrescentando que Depp arremessou contra ela latas e garrafas.

"A certo momento, ele colocou uma garrafa partida na minha cara, na zona da garganta, na linha da boca e disse que cortaria a minha cara", lembrou.

Com a voz tremida, Heard afirmou que, numa ocasião, Depp arrancou a sua roupa e a agrediu sexualmente com uma garrafa. "Johnny colocou a garrafa dentro de mim", enquanto ameaçava matá-la, disse.

Segundo ela, na manhã seguinte, descobriu que Depp havia usado o seu sangue, comida e tinta para escrever mensagens "incoerentes" em todas as superfícies da casa.

Na mesma audiência, Heard também acusou Depp de esbofeteá-la e pontapeá-la num avião enquanto estava bêbado, depois de a ter acusado de ter um caso com o ator James Franco.

"Senti-me envergonhada", declarou Heard ao júri. "Era a primeira vez que passava por algo assim", acrescentou, à beira das lágrimas.

"Ele estava zangado comigo por ter aceitado o trabalho com James Franco", contou Heard, ao relatar o incidente no avião, ocorrido em maio de 2014.

"Odiava, odiava James Franco e acusava-me de ter tido um caso em segredo com ele no passado, desde que fizemos Pineapple Express juntos", acrescentou, referindo-se ao filme de 2008 no qual trabalhou com Franco.

"Ele chamou-me puta", afirmou a atriz.

Heard deu ainda detalhes sobre o consumo contínuo de drogas e álcool por parte do ator e os seus esforços recorrentes para ficar sóbrio durante o relacionamento. Contou que um segurança uma vez teve de carregar Depp inconsciente nos braços "como um bebé" até à sua casa arrendada em Londres.

"Lembro-me de pensar que tinha de ser isso. Fiquei animada ao sentir que estávamos num novo capítulo, que o Johnny finalmente tinha atingido o fundo do poço", disse.

Mas apesar de "um milhão de promessas de ficar limpo e sóbrio", da terapia de casal e dos esforços de reabilitação, Depp voltou sempre a beber e a consumir marijuana e cocaína.

O testemunho de Johnny Depp

O ator norte-americano disse que nunca agrediu uma mulher. "Houve discussões e coisas assim, mas nunca cheguei ao ponto de bater na Amber de forma alguma", disse Johnny Depp ao júri no Tribunal do Condado de Fairfax. "Eu não bati em nenhuma mulher na minha vida".

Depp afirmou que as acusações "cruéis e preocupantes" de agressão física feitas contra Amber "não eram baseadas" em verdades e foram "um choque total".

Um dos seus advogados perguntou a Depp por que razão abrira ele o processo de difamação contra a ex-mulher. "Era minha responsabilidade defender-me, não apenas por mim, mas também pelos meus filhos", disse Depp. "Queria limpar os meus filhos destas coisas horríveis que eles tiveram de ler sobre o pai e que não estavam corretas."

O ator contou que experimentou drogas aos 11 anos, quando roubava "comprimidos para os nervos" da mãe que o maltratava. "Tomei substâncias ao longo dos anos, de vez em quando para afastar os fantasmas que me acompanhavam desde a juventude. Essencialmente, foi apenas automedicação."

Depp ressalvou, no entanto, que não é "um maníaco que precisa de estar drogado o tempo todo", e afirmou que a forma como é descrito pela atriz é falsa.

O ator foi questionado sobre o início do seu relacionamento com Amber. "Ela era amorosa, era como se fosse boa demais para ser verdade. Em cerca de um ano e meio, tornou-se outra pessoa."

Os advogados de Depp afirmam que as acusações tiveram um "impacto devastador" na carreira do ator em Hollywood que foi obrigado a desistir do papel de Capitão Jack Sparrow que interpretava em "Piratas das Caraíbas", tendo também sido retirado do elenco da prequela "Animais Fantásticos", baseada no livro da autora de Harry Potter, J.K. Rowling.

Ainda durante o seu testemunho, Johnny Depp revelou que a ex-esposa regularmente o "dizimava verbalmente" e uma vez atirou uma garrafa de vodka contra ele, cortando a ponta de um dos seus dedos.

Na altura, Depp disse a um médico nas urgência que tinha esmagado o dedo com uma "grande porta de correr" porque não queria que a ex-esposa tivesse problemas.

Depp explicou que o casamento se começou a deteriorar após um ano. "De repente, estava errado em tudo", disse, afirmando que Amber Heard o "dizimava verbalmente" com uma "espécie de fogo rápido, um desfile interminável de insultos". "Parecia puro ódio por mim".

"Simplesmente trancava-me na casa de banho", disse. "Se eu ficasse para discutir, tenho certeza de que escalaria para violência e muitas vezes isso acontecia. No meio da sua ira e da sua raiva, ela atacava", acrescentou.

"Começava com um chapada. Podia começar com um empurrão", afirmou Depp. "Podia começar, você sabe, por atirar o comando da televisão à minha cabeça. Podia ser atirando um copo de vinho à minha cara".

O que disseram as testemunhas chamadas a depor?

Agente do ator diz que acusação de Heard o fez perder mais de 22 milhões de dólares

Johnny Depp ganharia 22,5 milhões de dólares pelo sexto filme da saga "Piratas das Caraíbas", mas, depois de a ex-mulher Amber Heard o ter acusado de violência doméstica, a Disney descartou o projeto, revelou o agente do ator em tribunal.

Jack Whigham, que prestou depoimento por vídeo, disse que a coluna de Amber no "Washington Post" foi "catastrófica" para a carreira de Depp em Hollywood.

"Depois do artigo foi impossível conseguir um filme de estúdio", contou Whigham ao júri de sete pessoas no tribunal da Virgínia. O agente de Depp desde 2016 disse tinha sido fechado um acordo com a Disney para que o ator voltasse a interpretar "Jack Sparrow" no sexto filme. "Fechámos em 22,5 milhões de dólares."

A Disney, no entanto, decidiu seguir por "uma direção diferente" após a publicação do artigo de Amber no Post, em dezembro de 2018, relatou Whigham.

Questionado pelos advogados de Amber, Whigham disse que o acordo com a Disney sobre a compensação de Depp por um novo filme "Piratas das Caraíbas" foi verbal: "Houve um entendimento sobre qual seria o acordo."

"Era hora de fazer o meu trabalho e tirá-lo de lá"

Também Travis McGivern, membro da equipa de segurança de Johnny Depp já testemunhou em tribunal. O segurança disse ter testemunhado uma discussão entre o casal na casa em Los Angeles, durante a qual Amber deu um soco no rosto de Depp, lançou uma lata de bebida e cuspiu no ator.

O guarda-costas disse que escoltou Depp, "para sua segurança". "Era hora de fazer o meu trabalho e tirá-lo de lá."

Sean Bett, também segurança do ator, e Keenan Wyatt, que trabalhou como engenheiro de som em muitos dos seus filmes. Ambos afirmaram que nunca viram Depp ser violento.

"Nunca vi Johnny agredir ninguém", disse Wyatt. Bett afirmou ter visto Amber atirar uma "garrafa de água ou copo plástico" a Depp.

Psicóloga declara que Amber Heard sofre de transtornos de personalidade

Uma psicóloga contratada pelos advogados de Johnny Depp declarou que Amber Heard sofre de transtornos de personalidade.

Shannon Curry, psicóloga clínica e forense, afirmou que analisou pessoalmente a saúde mental de Amber por 12 horas durante dois dias em dezembro de 2021. Curry disse que a atriz sofre de transtorno de personalidade limítrofe e de transtorno histriónico.

Os advogados de Amber tentaram desacreditar o depoimento de Shannon durante o contra-interrogatório, e apontaram que os advogados de Depp a haviam contratado para depor em seu nome.

Segundo a psicóloga, algumas das principais características do transtorno de personalidade limítrofe incluem "muita raiva interna e hostilidade", uma tendência a ser "moralista" e "estados de ânimo flutuantes".

"Podem reagir violentamente, fisicamente", acrescentou a profissional. "Com frequência, serão abusivos com os parceiros. É quase uma atuação."

Shannon Curry, que tem experiência com veteranos de guerra dos EUA, disse que, na sua opinião, Amber não sofria de transtorno de stress pós-traumático como resultado de alegados casos de violência doméstica.

"Amber dizia-lhe que ele era um ator fracassado"

Tara Roberts, que administrou nos últimos 15 anos uma ilha particular nas Bahamas propriedade de Depp, contou, a pedido dos advogados do ator, os detalhes de uma discussão que o casal teve na ilha.

"Amber dizia-lhe que ele era um ator fracassado", narrou Tara. Que "ele iria morrer como um velho sozinho".

A funcionária contou que Amber gritava com Depp, agarrando-o e tentando levá-lo de volta para casa. A testemunha disse que ficou preocupada com o que poderia vir a acontecer e que levou Depp para um café, onde chegou a aplicar gelo no nariz do ator, ferido.

Defesa de Amber Heard leu mensagens violentas de Johnny Depp

Os advogados de Amber Heard apresentaram no tribunal sms's com conteúdo violento que Johnny Depp trocou com familiares, embora sem oferecer o contexto.

"Não quero ver aquela puta imunda da Amber de novo", escreveu Depp a um amigo em abril de 2015, dois meses após se casarem.

Os advogados da sua ex-mulher iniciaram o interrogatório do ator lendo uma série de mensagens que o ator trocou ao longo dos anos com vários contactos, sem dar mais detalhes sobre com quem ele havia falado e a data das mensagens de texto.

"Vamos queimar Amber", leu Ben Rottenborn, representante de Amber Heard. "Você disse: 'Vou foder o cadáver queimado dela para ter certeza de que está morta'".

"Foi isso que você disse que faria depois de queimá-la e depois de afogá-la", disse o advogado ao reler a mensagem enviada em 2013 pelo ator a um dos seus amigos.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.