A organização de jovens da CGTP, Interjovem, promove a ação de protesto para alertar para as precárias condições de trabalho dos jovens e para assinalar o Dia Nacional da Juventude.

"Vamos ter certamente uma grande manifestação", disse à agência Lusa o coordenador da Interjoven, João Barreiros, acrescentando que estão previstos autocarros de todos os distritos para transportar os manifestantes até Lisboa.

Segundo o dirigente da Interjovem, os jovens trabalhadores têm manifestado grande mobilização para participar na manifestação porque têm razões acrescidas para protestar.

"Numa altura em que o Governo pretende aprovar uma proposta de alteração à legislação laboral que agrava a precariedade, que aumenta o período experimental de três para seis meses, que generaliza os contratos de muita curta duração e em que se generalizam os baixos salários, cresce a mobilização geral contra esta proposta de lei e pela melhoria das condições de vida e de trabalho", disse.

João Barreiros salientou que os jovens são sempre "os mais frágeis do mercado de trabalho", porque têm vínculos precários, ganham menos que os trabalhadores efetivos e "são muitas vezes empurrados para empresas de trabalho temporário, sem quaisquer direitos".

A manifestação da juventude percorrerá as ruas da capital entre o Rossio e a Assembleia da República, onde será aprovada uma resolução reivindicativa, que será entregue no parlamento.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.