De acordo com a mesma fonte, a suspensão surge em consonância com a deliberação da assembleia-geral da ASJP de 22 de fevereiro de suspender os protestos convocados até estar concluído o processo negocial com o Governo.

Os juízes tinham agendadas desde novembro um conjunto de paralisações, tendo suspendido a de 22 de fevereiro devido à aproximação de posições com o Ministério da Justiça sobre a revisão do Estatuto dos Magistrados Judiciais, e agora a de 15 de março, dois dias depois de uma reunião com a tutela.

O calendário de protesto inclui 8 de abril, 9 de maio, 26 de junho, 9 de julho, 11 de setembro e três dias a determinar em outubro.

Na assembleia-geral da ASJP realizada a 22 de fevereiro, a estrutura anunciou que suspenderia todos os protestos convocados se o Governo apresentasse uma proposta satisfatória num "pequeno aspeto" que ainda divide as duas partes na questão da revisão do Estatuto dos Magistrados Judiciais.

"Foi deliberado suspender todos os protestos se, num ponto que consideramos de pormenor, mas que ainda está pendente, o Governo fizer uma proposta satisfatória", afirmou o presidente da ASJP, Manuel Soares, no final da assembleia-geral da associação sindical, que decorreu a 22 de fevereiro na Casa do Juiz em Bencanta, Coimbra.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.