A sentença estava em aberto desde a recusa do Tribunal de Justiça da União Europeia (TJE), no final de setembro, do seu recurso contra esta sentença. Este veredito já tinha sido emitido pela justiça alemã no final de 2019.

O alemão Christian B. foi condenado em dezembro de 2019 a sete anos de prisão pelo violação e pelo roubo de uma mulher norte-americana de 72 anos, em 2005, em Portugal, na Praia da Luz, onde Maddie McCann desapareceu em maio de 2007.

O homem ficará preso, permitindo que os investigadores, que temiam a sua possível saída antecipada, continuem a apurar o desaparecimento da criança britânica.

Este caso acelerou-se, repentinamente, no início de junho com a identificação deste alemão de 43 anos. Christian B. é um pedófilo reincidente, que se encontra detido em Kiel, no norte da Alemanha.

Assim, primeiramente, tratou-se de um arguido que foi condenado em 2011 a uma pena de prisão de um ano e nove meses, cuja execução ficou suspensa.

Posteriormente, em 2016, foi instaurado um processo-crime contra a mesma pessoa na Alemanha por atos ilícitos cometidos em Portugal e, uma vez que a pessoa visada se encontrava nesse país, o Ministério Público (MP) de Hannover emitiu um mandado de detenção europeu. Portugal autorizou a entrega do suspeito à Alemanha e este foi posteriormente condenado a um ano e três meses de prisão.

Em 2018, o MP de Flensburg, Alemanha, requereu às autoridades judiciais portuguesas que renunciasse à aplicação do princípio da especialidade e consentisse que fosse executada a pena aplicada ao arguido em 2011 (um ano e nove meses de prisão).

Na ausência de resposta da justiça portuguesa, o suspeito teve que ser libertado e pouco depois mudou-se para a Holanda e depois para Itália.

A Alemanha resolveu então emitir um novo mandado de detenção europeu contra Christian B. por forma a executar a sentença de 2011, o que levou à prisão deste na Itália, onde a autoridade judicial local competente validou a sua extradição para o país de origem.

Depois disso, em novembro de 2018, um tribunal alemão emitiu uma nova ordem de prisão contra o mesmo arguido para lhe instaurar um novo processo-crime relativo a factos (violação) cometidos em Portugal em 2005.

Christian B. é suspeito do assassinato de Maddie, de três anos, que estava de férias com os pais quando desapareceu do quarto de hotel onde dormia.

Em meados de junho, o Ministério Público de Brunswick alegou que tinha "provas, ou factos concretos", que sustentavam a convicção de que a menina tinha morrido, mas não "provas forenses", já que não foram encontrados restos humanos.

Segundo o advogado de Christian B. citado pela imprensa local, o homem nega qualquer envolvimento no desaparecimento de Maddie.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.