O voo com Harris aterrou na pista principal da base da Força Aérea da Guatemala às 18:18, hora local (00:18 segunda-feira em Lisboa), depois de sofrer um atraso de cerca de duas horas no plano inicial devido a um problema técnico do avião oficial.

A vice-presidente partiu da Base Aérea de Andrews, em Maryland, onde uma avaria sem risco obrigou a delegação a mudar de avião após quase meia hora de viagem, de acordo com informações oficiais.

O Ministro dos Negócios Estrangeiros guatemalteco, Pedro Brolo, foi o designado para dar as boas-vindas a Harris aquando da sua chegada ao país com uma breve cerimónia de saudação à sua chegada à Força Aérea guatemalteca, na qual também participou o Embaixador dos EUA, William Popp, no meio de uma pesada operação de segurança que incluiu franco-atiradores e os Serviços Secretos dos EUA.

Harris não tem atividades oficiais este domingo e na segunda-feira de manhã vai encontrar-se com o Presidente da Guatemala, Alejandro Giammattei, no Palácio Nacional da Cultura, a sede do Governo.

A vice-presidente disse esta semana que quer ter “uma conversa franca” sobre a luta contra a corrupção, o crime e a violência durante a sua estadia na Guatemala.

Após a reunião com Giammattei, Harris realizará reuniões com líderes comunitários noutro local a sul da capital guatemalteca, seguidas de conversações com líderes empresariais sobre iniciativas de investimento e desenvolvimento.

Harris também disse durante a semana que há muitas outras questões a falar na Guatemala, tais como a desnutrição e o desenvolvimento económico no meio das alterações climáticas.

Na chegada de Harris à Guatemala, cerca de 20 veteranos militares e familiares de antigos oficiais militares de alta patente, que estão a ser processados por crimes contra a humanidade, saíram às ruas em frente à Força Aérea guatemalteca para protestar contra o vice-presidente.

Os manifestantes levavam faixas com slogans escritos em inglês como “Kamala, Trump won” ou “Go home”.

Em contraste, no sábado, dezenas de pessoas manifestaram-se na praça central da Cidade da Guatemala contra a corrupção, um dos principais flagelos que encorajam os guatemaltecos a migrar.

A vice-presidente dos EUA deixará o país centro-americano na segunda-feira após 24 horas na Guatemala para se deslocar para o segundo destino da viagem, o México, onde se encontrará com o Presidente mexicano, Andrés Manuel Lopez Obrador.

A visita de Harris faz parte da estratégia de Biden, que tomou posse em janeiro, de cortar, na raiz, a imigração irregular para o seu país, especialmente de El Salvador, Guatemala e Honduras.

De acordo com números oficiais, existem mais de três milhões de guatemaltecos nos Estados Unidos, a maioria deles em situação irregular, e todos os anos pelo menos 300.000 pessoas tentam chegar aos EUA sem documentos em busca de melhores condições de vida.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.