O estado conservador do meio-oeste dos Estados Unidos rejeitou uma emenda conhecida como "Value Them Both" (Valorize os dois), que teria acabado com o direito constitucional do estado com o objetivo de devolver aos legisladores a regulamentação do procedimento.

A emenda foi apresentada no Congresso estadual, dominado pelos republicanos, por um grupo de legisladores.

A votação é vista como um teste para o direito ao aborto em todo país, já que as legislaturas dominadas pelos republicanos  apressam-se para impor proibições rígidas ao procedimento, após a decisão do Supremo de derrubar a sentença do caso Roe vs Wade, de 1973, que garantiu esse direito.

Defensores do direito ao aborto celebraram a vitória.

Momentos após o fecho das urnas, às 19h00 locais, Scott Schwab, que supervisiona a votação, declarou que a participação foi de pelo menos 50%, um número esperado para este tipo de votação, segundo a imprensa local.

O presidente Joe Biden comemorou a decisão. "Esta noite, os moradores do Kansas usaram as suas vozes para proteger o direito de escolha das mulheres e de acesso ao atendimento médico reprodutivo", escreveu no Twitter.

"Esta é uma vitória importante para o Kansas, mas também para todo americano que acredita que as mulheres devem ser capazes de tomar as suas próprias decisões de saúde sem a interferência do governo", completou.

Num comunicado, Biden pediu ao Congresso que "escute a vontade do povo americano" e aprove um projeto de lei que estabeleça o direito ao aborto.

Outros estados, como Califórnia e Kentucky, votarão sobre a questão em novembro, juntamente com as eleições de meio de mandato, nas quais tanto republicanos, quanto democratas, esperam mobilizar os seus defensores em todo país sobre o aborto.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.