A operação policial, realizada em Estrasburgo (leste) e Marselha (sul) e que terminou com sete detidos – entre os 29 e os 37 anos e de nacionalidades francesa, marroquina e afegã – decorreu no âmbito de uma investigação aberta pelos serviços de segurança há mais de oito meses e, segundo as autoridades francesas, impediu um atentado.

Os dois homens libertados na terça-feira eram suspeitos de ter ajudado a abrigar um marroquino, identificado como Hicham E., que continua detido, que as autoridades acreditam ser o financiador do grupo.

Hicham E. é, segundo a imprensa portuguesa, o homem que estava a ser investigado pela Polícia Judiciária desde o verão de 2015 e que tinha autorização de residência em Portugal desde 2014.

Em comunicado, divulgado na segunda-feira, a PJ referiu que a sua Unidade Nacional Contra Terrorismo identificou, investigou e transmitiu às sua congéneres internacionais a possibilidade de marroquino, de 26 anos de idade, poder vir a integrar um grupo terrorista.

Segundo a PJ, um dos homens detidos em França durante o fim de semana residia em Aveiro.

As detenções “permitiram evitar um ataque terrorista planeado há muito” para o território francês, disse ministro do Interior francês, Bernard Cazeneuve.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.