“Se este prazo para entrega relativamente ao endividamento das autarquias já foi ultrapassado, porque terminava no mês de julho, e se até agora o Governo não diz quando os vai divulgar aos eleitores, presume-se que não o fará antes das eleições autárquicas”, declarou Francisco Rodrigues dos Santos.

O dirigente centrista, que participou numa ação de rua no âmbito da campanha eleitoral autárquica, na Urzelina, concelho de Velas, ilha açoriana de São Jorge, cuja câmara municipal é detida pelo centrista Luís Silveira, considerou que a “tradição autárquica do PS gera endividamento atrás de endividamento e sobrecarga das gerações futuras”.

Esta postura, segundo assegurou, contrasta com o CDS-PP, um partido de “contas certas”, sendo as suas autarquias um “modelo de gestão que poupa as empresas e as famílias”.

Para o líder centrista, a não divulgação das contas das autarquias “não corresponde a uma transparência que deve presidir à governação autárquica e às exigências de um governo nacional, que tem que transmitir estes dados ao país”.

Francisco Rodrigues dos Santos considerou que em termos turísticos, Luís Silveira, o único presidente de câmara centrista nos Açores, fez um “extraordinário trabalho ao nível da requalificação, da criação de novas infraestruturas, na aposta na mobilidade, nas vias”.

Este fator faz com que “o turismo e a centralidade que ganha esteja também relacionado com outros domínios da vida pública que permitem um maior crescimento e adesão de pessoas e uma capacidade instalada no concelho de Velas que garanta um turismo mais massificado, mas de qualidade, que se possa diferenciar pela oferta que tem”.

O dirigente disse que a Câmara Municipal das Velas pratica os “impostos mais baixos para os empresários” para cativar investimento privado, sendo esta autarquia “rápida a decidir, diminuindo a burocracia, estando no terreno a apoiar aqueles que aqui querem gerar postos de trabalho e riqueza, para depois ser distribuída e dar postos de trabalho àqueles que aqui moram”.

Mais de 9,3 milhões de eleitores podem votar nestas eleições do poder local, recebendo cada um três boletins de voto, um dos quais para eleger o executivo de cada uma das 308 câmaras municipais, outro para cada assembleia municipal e um terceiro para a eleição das assembleias de freguesia.

Em Portugal, há 308 municípios (278 no continente, 19 nos Açores e 11 na Madeira) e 3.092 freguesias (2.882 no continente, 156 nos Açores e 54 na Madeira).

O executivo de Velas é composto por cinco vereadores, três do CDS-PP e dois do PS.

Nas autárquicas de 2017, o CDS-PP alcançou 53,62% dos votos e o PS 31,06%.

Na corrida eleitoral estiveram também o PSD, que obteve 7,45% dos votos e a CDU, que alcançou 5,46% de votantes.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.