"Aproximadamente 30 milhões de reais entre palestras e doações foram colocados por grandes construtoras à disposição" de Lula, disse o procurador Carlos Fernando dos Santos Lima numa conferência de imprensa em Curitiba.

"Os favores são muitos e difíceis de quantificar. É mais fácil quantificar as obras no apartamento triplex e as obras na quinta", em referência às duas propriedades que o Ministério Público suspeita que foram pagas por construtoras em benefício de Lula, acrescentou.

A residência de Lula em São Paulo foi alvo de buscas nesta sexta-feira pela polícia e o ex-presidente foi detido pela Polícia Federal para depor no aeroporto de Congonhas, no âmbito da investigação de fraude na Petrobras, o caso Lava-Jato. A notícia mobilizou partidários e opositores do ex-presidente que se dirigiram ao aeroporto.

"Estamos a analisar evidências de que o ex-presidente e a sua família receberam vantagens para consecução de atos dentro do governo. Ainda é uma hipótese investigativa", disse Lima.

O procurador afirmou que as grandes construtoras envolvidas no escândalo da Petrobras fizeram 60% das doações recebidas pelo Instituto Lula do ex-presidente, de um valor total de 20 milhões de reais entre 2011 e 2014. Seis construtoras fizeram pagamentos de 10 milhões de reais que representam 47% das receitas da empresa LILS Palestras de Lula. As empresas são Odebrecht, OAS, Camargo Correa, Queiroz Galvao, Andrade Gutierrez e UTC. "Não há ninguém isento de investigação no país. Lula não tem foro privilegiado", afirmou o procurador.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.