Durante uma reunião com parte do seu gabinete, Maduro, citado pela agência de notícias Efe, afirmou que Iván Duque teria dado “uma ordem para fazer tudo o que se possa fazer para contaminar a Venezuela”.

O alegado plano passaria por “trazer venezuelanos infetados” a viver na Colômbia de volta ao seu país.

A Venezuela registou na quarta-feira 75 novos casos de covid-19, 67 dos quais “importados”, com 66 provenientes da Colômbia, disse Maduro, precisando que todos estes casos permanecerão nas povoações fronteiriças até serem dados como curados.

“É duro […], mas mais duro é que contaminem o país, que entrem e contaminem toda a Venezuela, como deseja Iván Duque”, declarou, garantindo que tem “provas” do que afirma.

O Presidente venezuelano sustentou ainda que “bandos organizados” do lado colombiano da fronteira “estão a passar estes venezuelanos por passagens informais”, tendo pedido a ajuda da Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS) nesta zona.

“Eles [os venezuelanos que regressaram da Colômbia] saíram sãos”, disse Maduro. “Eles presumem que foram contaminados nos autocarros” em que foram transportados até às zonas limítrofes, disse Maduro, precisando que esta denúncia “está a ser averiguada”.

Maduro pediu à Força Armada Nacional Bolivariana e às forças de segurança para estarem “alerta” face à “maldade professa de contaminar gente”, sem especificar o método pelo qual a Colômbia teria infetado cidadãos venezuelanos.

Cinco milhões de venezuelanos deixaram o país nos últimos seis anos, para fugir à crise económica, tendo cerca de 50.000 regressado ao país durante a pandemia, de acordo com os dados oficiais.

A Venezuela cumpriu esta quarta-feira um mês sem registo de mortes por covid-19, totalizando dez óbitos desde o início da pandemia, segundo dados das autoridades venezuelanas.

O país conta também com um total de 824 infetados, um dos valores mais baixos do mundo.

Quase metade dos novos casos (44%) registaram-se nos últimos cinco dias.

A nível global, segundo um balanço da agência de notícias AFP, a pandemia de covid-19 já provocou mais de 325 mil mortos e infetou quase cinco milhões de pessoas em 196 países e territórios.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.