"Agora ameaçam Lula de prisão. Se for preso, Lula será tão grande como Nelson Mandela, será o Nelson Mandela do Brasil", afirmou Maduro, comparando o ex-presidente ao antigo líder sul-africano, que permaneceu 27 anos na prisão por combater o apartheid. Num acto público no Palácio Presidencial de Miraflores, Maduro manifestou a Lula "todo o apoio da Venezuela" face ao que considera manobras políticas para desestabilizar o governo da presidente Dilma Rousseff. "Como não podem dar golpes de Estado, dão golpes mediáticos e judiciais", afirmou Maduro, que na sexta-feira passada afirmou que Lula era vítima de um "ataque miserável" por ser levado de forma coerciva pela Polícia Federal para depor.

Esta quinta-feira, o Ministério Público de São Paulo pediu a prisão preventiva de Lula com base num processo por "ocultação de património" que envolve um tríplex no Garujá. Caberá a uma juíza de São Paulo decidir se dá seguimento ou não à denúncia do MP e à possível detenção do ex-presidente. No pedido de prisão preventiva, os promotores argumentam que Lula "atentou contra a ordem pública", ao convocar na sexta-feira passada a população a vir às ruas para denunciar uma "perseguição judicial" da qual se diz vítima.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.