O tribunal de Wuppertal reconheceu as "circunstâncias agravantes" e impôs a pena mais severa na Alemanha, impossibilitando que seja posta em liberdade pelo menos nos próximos 15 anos.

O juiz apoiou a tese da acusação, segundo a qual a acusada, Christiane K., teria matado os seus filhos, basicamente, por "deceção, raiva e desespero". O seu mundo desabou depois de descobrir uma foto do seu marido - de quem estava separada há um ano - com a sua nova parceira.

"A sua vida mudou profundamente naquela época", disse o presidente do tribunal, Jochen Koetter, acrescentando que a ré não conseguiu suportar isso e quis punir o ex-marido. O seu filho mais velho, então com 11 anos, escapou do destino das suas irmãs e irmãos.

A acusada ficou em silêncio durante todo julgamento. Christiane K. já havia declarado a sua inocência, alegando que um homem mascarado tinha entrado no seu apartamento e matado os seus filhos. Não foi encontrada qualquer prova que apoiasse esta versão.

Apesar dos sinais de narcisismo e de transtorno de comportamento diagnosticados antes dos eventos, ela foi considerada plenamente responsável por seus atos. A defesa pedia que a sua cliente fosse internada num centro psiquiátrico.

De acordo com a ata da acusação, o drama começou a 3 de setembro de 2020, em Solingen, perto de Wuppertal.

A mulher drogou a bebida dos seus filhos durante o pequeno-almoço para fazê-los adormecer. Em seguida, preparou um banho. Despertou as crianças e levou um após o outro para a casa de banho, onde os asfixiou, ou estrangulou.

Depois disso, envolveu-os numa toalha e colocou-os numa cama, onde foram encontrados os corpos sem vida de três meninas de um, dois e três anos, e de dois meninos, de seis e oito anos.

Neste mesmo dia, esta mãe atirou-se para a frente de um comboio na estação da cidade vizinha de Dusseldorf, mas sobreviveu à tentativa de suicídio.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.