Fonte do Comando Metropolitano de Lisboa da Polícia de Segurança Pública (Cometlis) disse à agência Lusa que várias pessoas foram detidas por desobediência, tendo os polícias feito várias advertências para desocuparem a via, mas os manifestantes não obedeceram aos avisos.

O Cometlis remeteu para mais tarde um balanço sobre o número de detenções.

Cerca de meia centena de manifestantes começaram pelas 16:30 de hoje o protesto na zona das chegadas do aeroporto, sempre vigiados pela PSP, e rumaram depois a pé até à Praça do Aeroporto, conhecida como Rotunda do Relógio.

Ali, acabaram por cortar o trânsito, constatou a Lusa no local.

A PSP tentou também impedir que outros manifestantes cortassem o trânsito em outras vias de acesso à Rotunda do Relógio.

"Mais ferrovias, menos aviões”, "Transição justa, justiça climática" são as palavras de ordem deste movimento denominado Climáximo.

"Ao mesmo tempo que a ciência e critérios de justiça social nos dizem que Portugal precisa de cortar as suas emissões de gases com efeito de estufa em 74% até 2030, o Governo mostra a sua hipocrisia ao prometer reduzir emissões aumentando-as, através da aviação", afirmou Beatriz Rodrigues, porta-voz da ação, num comunicado em que anunciava o protesto.

(Notícia atualizada às 19:14)

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.