Um porta-voz das forças armadas de Malta deu o aviso neste domingo. As autoridades de Malta proibiram a entrada nas suas águas territoriais do navio humanitário de uma ONG alemã, o "Alan Kurdi", com 65 migrantes a bordo, que navegava rumo ao país, após desistir de atracar em Itália.

As forças armadas maltesas também anunciaram terem socorrido neste domingo um grupo de 50 migrantes, a bordo de uma embarcação que se estava a afundar na sua zona oficial de resgate no mar. Os homens foram socorridos pelo navio de uma patrulha e chegarão a Malta no domingo à noite.

"Não podemos esperar encontrarmo-nos em estado de emergência. Agora, temos de ver se os governos europeus apoiam a posição da Itália. Com vidas humanas não se negocia", tinha dito a ONG alemã Sea-Eye.

O ministro italiano do Interior, Matteo Salvini (extrema direita), mantém uma dura batalha contra estas ONGs e nega-lhes o acesso a seus portos. Na última semana, dois barcos de ONGs atracaram na ilha italiana de Lampedusa, desafiando Salvini.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.