O manifesto, assinado por sociedades científicas de pneumologia e cirurgia torácica da Península Ibérica e da América Latina, é divulgado na véspera do Dia Mundial Contra o Tabaco.

As entidades subscritoras sublinham que o tratamento "mais eficaz e seguro" para ajudar os fumadores a deixarem de fumar é o aconselhamento psicológico e a medicação de substituição de nicotina.

Segundo as 11 sociedades científicas, que citam estudos, o uso de dispositivos eletrónicos para fornecimento de nicotina tem efeitos adversos a curto prazo, permitindo a inalação de outras substâncias tóxicas e aditivas, como cocaína, canábis e drogas sintéticas, que podem afetar o sistema respiratório.

Face aos riscos para a saúde, consideram que os médicos "não devem recomendar o uso deste tipo de dispositivo em nenhuma situação".

De acordo com o manifesto, a inalação direta ou indireta de fumo ou aerossóis gerados por estes dispositivos "representa uma ameaça à saúde respiratória", uma vez que "todas as estruturas do sistema respiratório são organizadas para a inalação do ar limpo e oxigenado".

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.