A eleição dos órgãos sociais para 2024-2027 contou com a votação de 334 misericórdias, de um total de 387.

De acordo com a informação divulgada pela organização, este foi o ato eleitoral “mais participado de sempre”, ao qual, pela primeira vez em 20 anos, concorreram duas listas.

Manuel de Lemos foi eleito com 225 votos e vai assumir o sexto mandato como presidente da UMP. Como opositor teve o provedor da Santa Casa de Pampilhosa da Serra, António Sérgio Martins, que encabeçou a lista B — “Devolver a UNIÃO às Misericórdias”.

Manuel de Lemos é também presidente da Confederação Internacional das Misericórdias e da Confederação Portuguesa de Economia Social.

A União das Misericórdias Portuguesas (UMP) foi criada em 1976 para orientar, coordenar, dinamizar e representar as misericórdias, defendendo os seus interesses e organizando atividades de interesse comum.

Em declarações à agência Lusa antes das eleições, Manuel de Lemos afirmou que aceitou ir a votos “porque houve uma enorme insistência de um número muitíssimo significativo de provedores” que lhe pediram para continuar.

Em entrevista à Lusa no final de maio, Manuel de Lemos defendeu a modernização dos lares e uma mudança de padrão no apoio à população sénior, confessando, aos 74 anos, que gostaria de acabar os dias em casa, rodeado de livros, dos cães de companhia e dos amigos.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.