De acordo com a edição de sábado do semanário Expresso, uma decisão sobre a eutanásia só deverá ser tomada depois do Papa vir a Fátima, em maio.

Ainda segundo o Expresso, para o Presidente da República é do mais elementar bom senso não receber o Papa com a sociedade portuguesa a discutir este tema.

"Em matéria de eutanásia, eu não faço comentário nenhum. Acho que estamos no início de um debate, por natureza um debate exaustivo, longo, sério e portanto em relação a esses debates, que estão agora a começar - ainda há uma petição para ser analisada no parlamento, há várias iniciativas para apresentar - não é possível estar a marcar prazos", respondeu aos jornalistas Marcelo Rebelo de Sousa quanto questionado sobre esta questão.

O Presidente da República reforçou que este "é um processo necessariamente profundo e portanto relativamente longo", mas não fez qualquer comentário ou estabeleceu uma relação com a vinda do Papa a Portugal, marcada para 13 de maio.

Questionado sobre se vai começar a receber os partidos a propósito desta matéria, Marcelo Rebelo de Sousa respondeu que está "em contacto permanente com os partidos políticos e portanto há de haver uma ocasião em que, com aquela periodicidade habitual", os receberá formalmente.

"E isso será em tempo oportuno. Veremos quando é que é o tempo oportuno", disse apenas, escusando-se assim a avançar qualquer data.

Já na semana passada, Marcelo Rebelo de Sousa tinha defendido um debate amplo e o mais participado possível sobre a morte assistida, tendo-se recusado a pronunciar para não condicionar a discussão.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.