"Foi com profunda consternação que tomei conhecimento do ataque contra cristãos coptas ocorrido hoje na província de Minya, do qual resultaram inúmeros mortos. Condeno veementemente este odioso ataque, bem como todas as manifestações de intolerância religiosa", lê-se na mensagem, divulgada na página da Presidência da República na Internet.

Marcelo Rebelo de Sousa, que em novembro recebeu o Presidente do Egito em Lisboa, transmite-lhe em seu nome e em nome do povo português "toda a solidariedade para com o povo egípcio e, de modo particular, com as famílias das vítimas", a quem expressa "sentido pesar".

Pelo menos 23 pessoas morreram e 25 ficaram feridas hoje no Egito num ataque de homens armados a um autocarro que transportava cristãos coptas, informou o porta-voz do Ministério da Saúde, Khaled Mujahid.

O ataque ocorreu na província de Minya, a sul do Cairo, e o autocarro dirigia-se ao mosteiro de San Samuel, disse uma fonte de segurança à agência noticiosa espanhola EFE.

A agência France-Presse refere a existência de 20 mortos, indicando como fontes a televisão estatal e responsáveis.

O ataque ocorreu um mês e meio depois de atentados contra duas igrejas coptas que causaram 45 mortos e foram reivindicados pelo grupo extremista Estado Islâmico.

Os coptas representam entre 10 e 12% da população egípcia.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.