O nome de Martin Schulz foi escolhido “por unanimidade” pelos responsáveis do partido antes da votação formal, indicou à imprensa em Berlim o atual presidente do SPD, Sigmar Gabriel, que é também membro do atual governo de Merkel, a grande adversária do antigo presidente do Parlamento Europeu.

O anúncio foi feito com Sigmar Gabriel, que renunciou a ser cabeça de lista para estas eleições pelo SPD, lado a lado com Schulz.

Com a divulgação desta escolha, e com a confirmação dada pelo próprio Sigmar, atual vice-chanceler e ministro da Economia do governo alemão, está aberto o caminho para o fim da coligação de quatro anos que une os sociais-democratas à CDU da atual chanceler alemã.

As últimas sondagens colocam o antigo presidente do Parlamento Europeu como o candidato mais bem posicionado a derrotar Angela Merkel, à frente do país desde 2005.

No entanto, a imprensa alemã dá conta de que Schulz não é unânime dentro do seu partido, sublinhando que a atual chanceler conta com um apoio significativo do setor mais conservador do SPD.

No próximo domingo, 29 de janeiro, o partido social-democrata alemão vai votar candidatura oficial de Schulz a chanceler da Alemanha. Ainda no mesmo dia, será apresentado o programa eleitoral do partido.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.