A informação foi veiculada hoje pelo Comando da Zona Marítima da Madeira, adiantando que o objetivo do navio, com uma guarnição de 67 militares, é “reforçar a capacidade de resposta a situações de busca a salvamento marítimo e apoiar os órgãos de proteção civil em situações de calamidade ou catástrofes naturais”.

De acordo com a Autoridade Marítima Nacional, no arquipélago da Madeira, entre a madrugada de sábado e a tarde de domingo, as previsões apontam para um agravamento das condições meteorológicas e oceanográficas, sobretudo a nível da agitação marítima e vento.

Segundo a mesma autoridade, as ondas vão ser do quadrante noroeste, podendo atingir uma altura entre os sete e os 12 metros, com “o período médio [de tempo entre cada onda] a variar entre os 15 e 20 segundos”.

Quanto ao vento, poderá registar velocidades superiores a 36 quilómetros horários e rajadas acima de 60 quilómetros.

Devido a estas condições adversas, a Autoridade Marítima recomenda “a adoção de medidas de precaução, nomeadamente o reforço da amarração e vigilância apertada das embarcações atracadas, evitar passeios junto ao mar, em especial nos molhes, e nas praias”.

Também desaconselha a permanência nas zonas costeiras, em especial as expostas à agitação marítima e junto à orla marítima, devendo a população “manter uma atitude vigilante, tendo em conta que, nestas condições extremas, o mar pode facilmente alcançar zonas aparentemente seguras”.

A Capitania do Porto do Funchal, com base nas previsões do Instituto Português do Mar e da Atmosfera, emitiu hoje um aviso de mau tempo nos mares da Madeira até às 18:00 de sexta-feira, recomendando que as embarcações permaneçam nos portos de abrigo.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.