O acidente ocorreu cerca das 20:00, na estrada que dá acesso ao Autódromo Internacional do Algarve, em Portimão, entre um motociclo da GNR em serviço na segurança da prova de MotoGP e uma viatura ligeira de passageiros.

Segundo o comunicado, o acidente causou um ferido ligeiro e um ferido grave, respetivamente condutor e passageiro da viatura ligeira de passageiros, bem como a morte do militar da GNR.

“Neste momento de luto para toda a família da Guarda Nacional Republicana, endereçam-se os sentidos pêsames e apoio à família do nosso militar”, pode ler-se no comunicado.

O ministro da Administração Interna, Eduardo Cabrita, também lamentou a morte do militar em nome do Governo.

“Foi com profundo pesar que tomei conhecimento da morte do primeiro-sargento João Fernandes, 45 anos, do Destacamento de Trânsito de Faro da Guarda Nacional Republicana, vítima de um acidente de viação em serviço na zona do autódromo internacional de Portimão e de que resultou ainda um ferido grave”, disse o ministro, numa nota à imprensa.

“Neste trágico momento, em meu nome pessoal e do Governo, endereço os meus mais sentidos pêsames à sua família, aos amigos e à Guarda Nacional Republicana, a quem aproveito para enaltecer o esforço permanente e o profissionalismo dos seus militares para garantir a segurança das populações”, acrescenta Eduardo Cabrita.

Fonte do Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS) de Faro indicou à Lusa que o acidente ocorreu na freguesia da Mexilhoeira Grande, na saída da A22 para o autódromo, numa via sem identificação, onde a localidade mais próxima é Almarjões.

No local estiveram nove veículos e um helicóptero do Instituto Nacional de Emergência Médica, estando as causas do acidente a ser apuradas, segundo o CDOS de Faro.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.