Em nota publicada na página da Diocese, D. Nuno Brás, Bispo do Funchal, anuncia que as missas serão retomadas já a partir de amanhã, 9 de maio.

"É com grande alegria que, depois de ter dialogado com o Governo Regional, vos posso hoje anunciar que, a partir do próximo dia 9 de Maio, as igrejas das nossas Ilhas da Madeira e Porto Santo poderão, de novo, abrir as suas portas para acolher as celebrações comunitárias da Eucaristia e para a oração pessoal dos fiéis", começa por dizer.

Contudo, realça que "ainda não será o regresso à situação que vivíamos antes de 14 de março passado, mas é o possível para os tempos mais próximos, tendo em conta os constrangimentos que a covid-19 nos impõe".

D. Nuno Brás recorda ainda que as regras devem ser adotadas por todos e que estas "poderão ser alteradas sempre que a situação a isso aconselhar".

Dada a pandemia, mantém-se ainda "a impossibilidade de realizar procissões e outros actos festivos com grande participação de fiéis". Contudo, "os sacerdotes poderão passar pelas ruas com as imagens e as bandeiras em cortejo automóvel, permanecendo os demais fiéis nas janelas e varandas de suas casas".

O Bispo do Funchal apela ainda a que aqueles que fazem parte dos grupos de risco "se mantenham em suas casas, acompanhando as celebrações através da televisão ou da internet, e recebendo a Sagrada Eucaristia por meio do sacerdote ou de ministros extraordinários da comunhão, sempre no respeito das normas de segurança".

No que diz respeito aos funerais, "os sacerdotes deverão continuar a realizar apenas uma celebração da Palavra nos cemitérios, dada a dificuldade de garantir sempre as condições para a celebração da Missa de corpo presente".

Normas para as missas na Madeira:

  • A celebração será feita apenas na igreja paroquial, reitorias ou oratórios de comunidades religiosas;
  • Em cada igreja deve existir um grupo responsável pelo acolhimento (confraria, catequese, escuteiros...) que ajude a entrada dos fiéis;
  • Antes de entrar na Igreja todos devem desinfectar as mãos com uma solução à base de álcool-gel ou similar e ser portador de máscara protectora;
  • Apenas pode ser admitido a participar 1/3 da capacidade do lugar de culto. Se possível, devem ser criados mais horários de missas e cada celebração não deve ter mais de 40 minutos;
  • Os lugares que podem ser ocupados devem estar marcados com um adesivo ou autocolante de cor que contraste com a do banco, de forma que as pessoas saibam exatamente onde se deverão sentar. Não se deve permitir que alguém se sente fora dessas distâncias;
  • O diálogo individual da comunhão vai ser pronunciado de forma coletiva depois da resposta "Senhor, eu não sou digno...", distribuindo-se a Eucaristia em silêncio;
  • A comunhão deve ser dada na mão, depois de os ministros (com máscara) terem desinfectado as mãos, gesto que voltam a repetir no final;
  • Para a comunhão, os fiéis deverão vir pelo corredor central da igreja e regressar pelos corredores laterais;
  • Após a celebração, os fiéis devem regressar a casa, sem qualquer convívio no adro ou noutro espaço da igreja.

Em Portugal, morreram 1.114 pessoas das 27.268 confirmadas como infetadas, e há 2.422 casos recuperados, de acordo com a Direção-Geral da Saúde.

Na Madeira, de acordo com os dados divulgados quinta-feira pelo Instituto da Administração da Saúde (IASAUDE), foram registados 90 casos positivos, dos quais 51 recuperados.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.