Num discurso realizado na cerimónia de encerramento da 39ª cimeira, Filipe Jacinto Nyusi agradeceu a confiança e garantiu estar preparado para organizar a próxima cimeira, convidando os seus homólogos dos restantes 15 países que integram a SADC a estarem presentes em Maputo.

“Sejam bem-vindos à 40ª cimeira dos chefes de Estado e de Governo, em Maputo”, afirmou, acrescentando querer resolver alguns dos temas que ficaram sem conclusão nesta cimeira, como “a transformação do fórum parlamentar em parlamento regional”, disse na sua intervenção no Centro de Convenções Internacionais Julius Nyerere, onde decorreu o encerramento da cimeira da Tanzânia.

O Presidente moçambicano elogiou o sucesso dos trabalhos da cimeira que hoje termina, atribuindo-o “aos peritos e outros técnicos, que prepararam as matérias a serem discutidas e propuseram consensos para o desenvolvimento da região”.

Filipe Jacinto Nyusi também agradeceu aos Estados membros da SADC o apoio e solidariedade “para minorar o sofrimento e drama humanitário” provocados pela passagem dos ciclones Idaí e Kenneth no centro e norte de Moçambique e o facto de terem testemunhado a assinatura do acordo de paz e reconciliação com a Renamo.

Através do Twitter, o Ministério dos Negócios Estrangeiros (MNE) de Portugal felicitou Moçambique por ter sido eleito para organizar a próxima cimeira da Comunidade de Desenvolvimento da África Austral (SADC).

“Felicitamos a República de Moçambique, que acaba de ser eleita para presidir, em 2020-21, à Comunidade para o Desenvolvimento da África Austral”, refere o ministério numa mensagem divulgada através da rede social.

A 39ª cimeira da SADC juntou chefes de Estado e de Governo de 16 países – Angola, Moçambique, África do Sul, Botsuana, Comoros, República Democrática do Congo, Lesoto, Madagáscar, Maláui, Maurícia, Namíbia, Esuatíni (antiga Suazilândia), Tanzânia, Zâmbia, Zimbabué e Seicheles — para debater o desenvolvimento regional.

Iniciada no sábado em Dar es Salam, a reunião foi dedicada ao tema “a Criação de um Ambiente Propício para o Desenvolvimento Industrial Inclusivo e Sustentável, Incremento do Comércio Intrarregional e Criação de Oportunidades de Emprego”.

Segundo um comunicado da presidência de Moçambique, a cimeira visava “passar em revista a transformação do fórum parlamentar da SADC em parlamento, assim como a operacionalização do fundo de desenvolvimento regional da SADC”.

Em discussão estiveram ainda os progressos registados no processo de integração regional, o grau de implementação da estratégia e roteiro para a industrialização da SADC.

(Notícia atualizada às 16:36)

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.