"Tornou-se um ícone, nos círculos de vanguarda, pelo seu estilo tipo máquina, que rejeitou os padrões da percussão", afirmaram.

Os seus antigos companheiros dos Can, grupo fundado em Colónia, em 1968, disseram que Jaki Liebezeit morreu de repente, vítima de pneumonia.

Liebezeit morreu “a dormir, pacificamente, rodeado por entes queridos", segundo mensagem publicada na página de Facebook dos Can: "Vamos sentir muito a sua falta”.

Os Can foram uma das bandas pioneira do kraut-rock, género difundido por músicos da Alemanha Ocidental, nos anos de 1960-70, que direcionou o rock para uma via mais psicadélica e experimental, influenciando-o com improvisações de jazz e de música eletrónica.

O percurso de Liebezeit começou no free jazz, mudando depois, ainda numa fase inicial, para uma via mais virtuosa. Em Barcelona, onde estudou, tocou com o trompetista Chet Baker.

O músico desencantou-se, porém, com o circuito de jazz, tendo começado a aprender percussão por todo o mundo. Com os Can desenvolveu um método que os ouvintes consideravam cada vez mais indistinguível das máquinas.

Jaki Liebezeit dizia sentir-se confortável a explorar as possibilidades da bateria.

Liebezeit acabou por descartar as baquetas, fazendo uso do próprio corpo conjugando a bateria com outros instrumentos de percussão, menos comuns no rock.

O músico explicou que a padronização de baterias, ao contrário da imaginação popular, era um fenómeno recente e destinava-se ao jazz e não ao rock.

Na década de 1990 afirmou que se tinha tentado “libertar de todas as influências norte-americanas”, já que tinha “descoberto o mundo inteiro”.

“Descobri isso há muito tempo, mas a música americana é tão dominante. Não quero dizer imperialista, mas isso faz com que não possamos pensar de outra maneira”, afirmou, em 2015, à revista britânica The Quietus.

Os Can foram influenciados por alguma música norte-americana de vanguarda, como a dos Velvet Underground ou a do compositor minimalista Steve Reich.

Entre os músicos originais da banda destacam-se Holger Czukay e Irmin Schmidt, que foram alunos do compositor alemão Karlheinz Stockhausen, figura-chave na chamada "escola de Darmstadt".

Além dos Can, com quem se reuniu de vez em quando após a década de 1970, Liebezeit tocou, entre outros, com os Depeche Mode e com Brian Eno.

Brian Eno dirigiu "A short tribute film to Can", em homenagem à banda alemã.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.