"Faleceu esta manhã na sua casa de Ludwigshafen”, sudoeste do país, revelou o jornal alemão Bild.

Kohl foi chanceler da República Federal da Alemanha de 1982 a 1998, cumprindo assim o mandato mais longo de todos os chefes do governo desde a fundação do país, em 1949.

Kohl governou o país durante 16 anos, mas o ano que marcará para sempre a sua imagem foi o de 1989, quando se deu a queda do Muro de Berlim. Helmut Kohl, cuja infância foi marcada pelos horrores da II Guerra Mundial, soube aproveitar a grande ocasião que se deparava ao seu país e avançou sem hesitar para a reunificação alemã, depois de a revolução democrática no leste ter derrubado a ditadura comunista.

Arquiteto da Reunificação alemã e figura histórica da União Democrática Cristã (CDU), é considerado como a pessoa a quem a atual chanceler, Angela Merkel, deve a sua ascensão política nos anos 1990.

A nível internacional, a maioria dos analistas políticos atribui-lhe também particular mérito na evolução da União Europeia e na fundação da União Económica e Monetária, que culminou na moeda única, o Euro.

O antigo chanceler alemão deixou a vida política ativa em 2002 e estava dependente de uma cadeira de rodas desde que sofreu um acidente vascular cerebral em 2008.

A pátria, a unidade alemã e a família foram sempre os valores que regeram a atuação de Kohl.

Na conta oficial do partido União Democrata-Cristã, pode ler-se a mensagem de pesar: “Estamos de luto”.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.