Em declarações à SIC Notícias, fonte da família avançou que Armando Gama foi vítima de doença prolongada. Estava internado no Instituto Português de Oncologia (IPO), em Lisboa, onde veio a falecer.

Herman José deu conta da morte do cantor Armando Gama na sua conta de Facebook, através da partilha de um vídeo.

"O querido Armando Gama mudou-se esta noite para palcos mais celestiais. Fica a memória de um impecável colega e de um gentilíssimo amigo, naquela que foi a sua última atuação em televisão", pode ler-se.

Nascido em Luanda, em 1 de abril de 1954, Armando Gama iniciou o percurso musical cedo, começando a tocar harmónica em família em 1959.

Em 1983, Armando Gama venceu o Festival RTP da Canção com “Esta Balada que te Dou”, de sua autoria e orquestração de Mike Sergeant, que representou Portugal no Festival da Eurovisão, realizado em Munique, na Alemanha, tendo ficado em 13.º lugar.

A canção foi editada em 17 países e alcançou o ‘top’ de vendas, entre outros países, na Bélgica. Em Portugal, vendeu 80.000 exemplares.

Foi este o tema que o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, optou por destacar numa nota de pesar publicada no website da Presidência da República. "Produziu discos de diversos artistas da música popular portuguesa e gravou, em duo ou a solo, alguns êxitos, dos quais lembraremos sobretudo 'Esta balada que te dou', canção que escreveu e interpretou, e com a qual venceu o Festival da Canção em 1983", lê-se.

O chefe de Estado, Marcelo Rebelo de Sousa lembrou que Armando Gama, "nascido em Luanda, veio para Portugal em 1974, tornando-se uma figura do rock progressivo com os Tantra", e não deixou também de apresentar condolências à família.

Já a ministra da Cultura, Graça Fonseca, lembrou o seu contributo para a história da música portuguesa na segunda metade do século XX.

“Tendo iniciado o seu percurso profissional na década de setenta, Armando Gama compôs e interpretou temas que marcaram a história da música portuguesa na segunda metade do século XX”, afirma a ministra da Cultura, numa nota de pesar enviada às redações. Graça Fonseca recorda ainda que o músico participou em diversos Festivais RTP da Canção, tendo vencido a sua vigésima edição e representado Portugal no Festival Eurovisão da Canção de 1983, em Munique.

Como produtor, “trabalhou com alguns dos músicos e intérpretes que marcaram, também, a música ligeira portuguesa”, acrescenta.

Em 1970, Gama formou o conjunto LoveBirds e, no ano seguinte, o duo Marinho&Gama, que gravou um ‘single’ com dois temas de sua autoria: “Menino” e “Spanish Garden”.

Em 1974, passou a residir em Lisboa, onde contactou com o mundo musical e constituiu, em 1976, o grupo Tantra, um projeto de rock sinfónico, com Manuel Cardoso, tendo gravado um ‘single’ e um álbum para a discográfica Valentim de Carvalho.

Dois anos depois, com Kris Kopke, formou o duo Sarabanda e assinou com a editora discográfica PolyGram a convite do produtor Tózé Brito.

No ano de 1980, Armando Gama divide-se entre orquestrador e produtor, tendo produzido nomes como Dina (1956-2019), Mário Mata, Dino Meira (1940-1993), o quarteto Doce, Trio Odemira e Nicolau Breyner (1940-2016).

Gama deu ainda voz ao tema principal da série animada infantil "Bana e Flapi", baseada no livro “Bannertail: The Story of Gray Squirrel” (1922), de Ernest Thompson Seton, e a todas as canções de outra série animada infantil, "Sport Billy", que marcou presença na RTP de setembro de 1980 a novembro do ano seguinte.

Em 1982, gravou o seu primeiro disco a solo, o álbum "Quase Tudo”, pela discográfica Rádio Triunfo.

Em 1986, gravou os ‘singles’ "No teu Abraço" e "Adoro Chopin" e, no ano seguinte, iniciou gravações de uma série de espetáculos com Valentina Torres, ex-locutora da RTP, com quem viveu de 1983 a 2010. Desta relação, o casal teve dois filhos, Ana Carolina e António.

Armando e Valentina interpretaram "Sonho de Natal" (1988), "Maria Linda" (1989), "Menina agarra o teu rapaz" (1991), e em 1993 Armando Gama concorreu ao Festival RTP da Canção com "Se Eu Sonhar”, que se ficou pela semifinal.

Em 1999 começou a atuar, regularmente, como pianista no Casino Estoril, nos arredores de Lisboa, onde se manteve até julho de 2008. Em maio de 2006, apresentou o espetáculo "Armando Gama o 5º Beatle", que foi mantendo esporadicamente, e gravou um DVD no Teatro Sá da Bandeira, em Santarém.

A partir de abril de 2009, atuou ao piano, regularmente à noite, no Palácio de Seteais, em Sintra, também no distrito de Lisboa.

Em 2009, voltou a concorrer ao Festival RTP da Canção com “Amor mais que Perfeito”, que chegou à semifinal.

Armando Gama foi-se mantendo em atividade com atuações em quarteto – Virgílio Marujo na bateria, Zé Pinho na guitarra, Nélson Oliveira no baixo, e Gama, ao piano -, com a banda Revival e a solo, atuando com regularidade no bar Xafarix, em Lisboa, além de atuar em todo o país e algumas vezes além-fronteiras.

Armando Gama e Valentina Torres separaram-se em 2010, e o músico iniciou uma relação em 2011 com uma fã, Bárbara Barbosa, da qual resultou um filho e foi pautada por acusações ao cantor de violência doméstica, tendo chegado a ser detido pela GNR a 9 de janeiro de 2020.

A Sociedade Portuguesa de Autores (SPA) lamentou também a morte do cantor e compositor, lembrando o “seu estilo e bom gosto a tocar e a cantar”.

“Manteve uma prolongada atividade artística, sendo sempre reconhecido pelo seu estilo e bom gosto”, refere a SPA, num comunicado hoje divulgado, no qual manifesta “pesar” pela morte do músico.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.