Buddy, um pastor alemão de sete anos, ficou doente em abril, na mesma época em que o dono Robert Mahoney estava a recuperar da doença. O animal parecia ter o nariz entupido e dificuldades para respirar e sua situação apenas piorou com o passar das semanas e meses.

Mahoney e a mulher Allison, que vivem em Nova Iorque, acabaram por, a 11 de julho, tomar a decisão de colocar fim à vida de Buddy quando ele já não conseguia andar.

O casal disse à National Geographic que teve dificuldades em confirmar a suspeita de que Buddy tinha sido infetado com o SARS-CoV-2. Muitos veterinários da região estavam fechados devido à pandemia. Alguns foram céticos quanto à possibilidade dos animais contraírem o vírus. Além de que os testes estavam a ser preservados para o uso em humanos.

Uma clínica, enfim, conseguiu confirmar o resultado positivo no pastor alemão e descobriu ainda que o bebé da família, com 10 meses e que nunca chegou a adoecer, tinha anticorpos contra o coronavírus.

Os veterinários mais tarde verificaram também que Buddy provavelmente sofria de linfoma. O que levanta a dúvida sobre se, assim como humanos, animais com doenças preexistentes podem ser mais suscetíveis a formas graves do Covid-19.

Nem as autoridades de saúde pública nem os veterinários puderem dar muitas informações aos donos, já que não há dados suficientes sobre o vírus em animais. Apenas se sabe que a contaminação parece ser rara.

Robert Cohen, o veterinário que testou Buddy, disse à revista que não tinham conhecimento ou experiência alguma com a base científica do coronavírus em cães. Além disso, a família acha que as autoridades federais e municipais não pareceram muito interessadas em saber mais com o caso.

A posição oficial da Organização Mundial da Saúde (OMS) é que animais de estimação provavelmente não transmitem o vírus a humanos. Porém, Shelley Rankin, uma veterinária da Universidade da Pennsylvania, acredita que mais estudos são necessários. "Se estamos a dizer ao mundo que a prevalência é baixa, temos que olhar para números altos" de animais, afirmou ela.

Doze cães e dez gatos tiveram resultado positivo para coronavírus nos EUA, de acordo com a National Geographic.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.