O espanhol foi detido em Bagan, uma cidade da região central de Myanmar que atrai turistas interessados em visitar templos budistas. "Os monges de Bagan viram uma tatuagem de um Buda na sua perna direita, porque estava de calções. Informaram-nos, porque não é nada apropriado", disse à AFP um polícia de Bagan. O turista foi enviado rapidamente a Yangon. Outro polícia, do aeroporto de Yangon, confirmou a detenção e destacou que o turista espanhol será deportado para Banguecoque.

Myanmar, país de maioria budista, registou uma grande transformação política nos últimos anos, quando passou de um regime militar e fechado ao mundo para um governo que promove o turismo e os investimentos estrangeiros. As mudanças foram acompanhadas pela ascensão de um movimento nacionalista budista, hostil à minoria muçulmana, que representa 5% da população, e a tudo aquilo que considera como influências ocidentais.

Muitos budistas, em particular ocidentais, têm tatuagens do fundador da religião, o que é considerado ofensivo em alguns países. Uma enfermeira britânica foi expulsa do Sri Lanka em 2014 por exibir uma tatuagem de Buda no braço, apesar de insistir que era uma seguidora da religião e que havia feito a tatuagem em sinal de respeito. Na Tailândia, os aeroportos têm anúncios em que advertem os visitantes que não devem fazer tatuagens com a imagem de Buda, nem comprar estátuas do mesmo. 

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.