Uma fonte da Autoridade Nacional de Proteção Civil tinha informado que um avião Canadair de combate aos incêndios, que operava no fogo de Pedrógão Grande, tinha caído na tarde desta terça-feira, 20 de junho.

No entanto, o comandante operacional da Proteção Civil, Vítor Vaz Pinto, no 'briefing' aos jornalistas em Avelar, Ansião, garantiu que "não tinha conhecimento de nenhuma aeronave ao serviço da proteção civil que tivesse caído".

Durante duas horas surgiram várias informações com confirmação de fonte oficial que davam conta da queda de um avião, mais precisamente de um Canadair.

Às 17h14, a agência Lusa noticiava: "URGENTE: Pedrógão Grande: Avião Canadair despenhou-se no combate às chamas". A notícia citava uma fonte da Autoridade Nacional de Proteção Civil: "Um avião Canadair de combate aos incêndios, que operava no fogo de Pedrógão Grande, caiu hoje à tarde, disse à agência Lusa fonte da Autoridade Nacional de Proteção Civil. A mesma fonte informou que se encontra a caminho do local um helicóptero do INEM."

Dezassete minutos mais tarde, a agência Lusa voltava a atualizar a informação e de novo eram citadas fontes oficiais. "O Gabinete de Prevenção e Investigação de Acidentes com Aeronaves e de Acidentes Ferroviários (GPIAAF) indicou à Lusa que foi informado da queda da aeronave na zona de Pedrógão Grande, durante esta tarde, acrescentado que uma equipa deste organismo vai deslocar-se para o local para, em conjunto com a Proteção Civil, proceder às operações. O avião despenhou-se na zona de Ouzenda, Pedrógão Grande, e não é nenhum dos dois Canadair contratados por Portugal, segundo a fonte da ANPC."

O relato continuou em vários meios, incluindo o SAPO24 que tentou, sem êxito, contactar o Ministério da Administração Interna, o INEM, a Autoridade Nacional de Proteção Civil, sem que obtivéssemos qualquer resposta, mesmo em casos de contacto directo.

Às 18h16, nova atualização da agência Lusa. Pedrógão Grande: Helicóptero da Força Aérea empenhado nas buscas por Canadair. E a respetiva notícia: "Um helicóptero EH 101 da Força Aérea Portuguesa (FAP) de busca e salvamento foi ativado para participar nas operações para encontrar um avião Canadair que hoje caiu quando combatia o incêndio de Pedrógão Grande, Leiria. Fonte da FAP indicou à agência Lusa que o EH 101 vai descolar da Base Aérea N.º6, no Montijo, e seguir para a zona de Pedrógão Grande para ser empenhado nas operações de busca.

Finalmente, e no seguimento do briefing realizado com atraso - e que arrancou com o comandante Vaz Pinto a pedir desculpas por isso mesmo e a referir aos jornalistas "que pensam que sabem qual foi o motivo deste atraso" -  a Lusa publicou às 19h11 nova informação: Pedrógão Grande: "Nenhum avião ao serviço da Proteção Civil caiu" - Comandante operacional. "O Comandante operacional da Proteção Civil, Vaz Pinto, negou que tivesse caído alguma aeronave nas operações de combate aos incêndios que estivesse ao serviço da Autoridade Nacional de Proteção Civil. "Não tenho conhecimento de nenhuma aeronave ao serviço da proteção civil que tenha caído", disse Vítor Vaz Pinto em Avelar, Ansião.

Aludindo à possibilidade de ter ocorrido outro evento que induzisse em erro, falou na hipótese da explosão de uma 'roulotte' e admitiu o envio de equipas de buscas para o local.

"Havia uma 'roulotte' abandonada com botijas de gás, e eventualmente isso pode ter explodido», disse.

Foi esta a evolução de uma notícia ao longo de duas horas, com várias fontes oficiais a serem citadas, sem que esteja explicado como isso aconteceu.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.