“Apesar das diferenças gigantescas que tenho com Júlio Borges (presidente do parlamento), Luís Florido e com os líderes da MUD, quero agradecer o espírito de colaboração para instalar o diálogo nacional e digo ao Presidente da República Dominicana, obrigado”, disse.

Nicolás Maduro falava durante uma comunicação ao país, transmitida em simultâneo pelas rádios e televisões venezuelanas, durante a qual sublinhou que o “diálogo e a paz são garantia de futuro” para o país.

No Twitter destacou o facto de o Governo e a oposição estarem reunidos.

“Consegui. Hoje sentei a MUD na mesa de diálogo de maneira definitiva, é uma conquista nacional”, escreveu.

Representantes do Governo venezuelano e da MUD chegaram sexta-feira a Santo Domingo, na República Dominicana, para iniciar o processo de retoma do diálogo.

O encontro, de dois dias, tem lugar depois de várias tentativas falhadas de diálogo.

O Governo espera chegar a um acordo para avançar com novas emissões de títulos de dívida e outras formas de financiamento.

As negociações vão decorrer num momento em que o Governo venezuelano é abalado por um escândalo de corrupção na empresa petrolífera estatal e a Venezuela passa por uma crise política e económica, que tem motivado apelos para a abertura de canais humanitários para alimentos e medicamentos, que o regime não aceita.

Os trabalhos estão a ser liderados pelo Presidente da República Dominicana, Danilo Medina, pelo ministro dos Negócios Estrangeiros dominicano, Miguel Vargas, e pelo ex-chefe do Governo espanhol, José Luís Rodríguez Zapatero.

A reunião tem como observadores os ministros dos Negócios Estrangeiros do Chile, México, Paraguai, Bolívia, Nicarágua, San Vicente e Granadinas, os últimos três a pedido do Governo venezuelano.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.