Segundo o gabinete da ministra da Presidência e da Modernização Administrativa, a campanha #DitadosImpopulares, promovida pela secretária de Estado para a Cidadania e a Igualdade, Rosa Monteiro, desconstrói ditados populares, como por exemplo “entre marido e mulher não se mete a colher”, apelando para o envolvimento de todas as pessoas nesta luta e alertando que a violência não é assunto privado.

Com esta campanha, o Governo pretende também informar sobre os serviços da rede nacional de apoio às vítimas de violência doméstica.

A rede atualmente disponibiliza 166 estruturas de atendimento, 26 locais de acolhimento de emergência e 40 casas de abrigo, e cobre mais de 70% do país, envolve 218 municípios e, em 2018, assegurou uma média de 40 atendimentos por dia.

O objetivo da campanha é que todas as pessoas denunciem casos de violência doméstica, previsto na lei como crime público, e peçam apoio à rede nacional.

Segundo o Relatório Anual de Monitorização de 2018, divulgado em julho, foram registadas pelas forças de segurança 26.432 participações de violência doméstica, 11.913 das quais pela GNR e 14.519 pela PSP, correspondendo a uma diminuição de 1,2% face a 2017.

Lisboa (5981), Porto (4614), Setúbal (2458), Aveiro (1804) e Braga (1801) foram os distritos onde se registaram mais queixas.

A campanha será divulgada através da RTP, SIC, TVI e Cofina Media.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.