Já estão em Silves os agentes das três forças de investigação criminal que vão rastrear a zona da Barragem do Arade em busca de vestígios que possam ajudar a desvendar o desaparecimento de Maddie McCann.

As buscas da Polícia Judiciária serão acompanhadas por autoridades alemãs e inglesas e deverão durar entre dois a três dias. Os elementos das BKA, polícia alemã, chegaram esta manhã ao local em duas carrinhas. As investigações serão coordenadas pelo núcleo da Polícia Judiciária do Porto e reúne equipas cinotécnicas, mergulhadores, Proteção Civil de Silves e a GNR.

A operação decorre de uma Decisão Europeia de Investigação (as antigas cartas rogatórias) dirigida pelas autoridades da Alemanha a Portugal e centram-se na barragem do Arade, situada a cerca de 50 quilómetros da praia da Luz, local onde a criança desapareceu em maio de 2007 quando passava férias com os pais.

O local costumava ser frequentado por Christian Brückner, suspeito do desaparecimento de Maddie, então com 3 anos de idade, e que está a cumprir pena em Kiel (Alemanha) por outro crime.

O alemão de 45 anos foi também acusado, em outubro do ano passado, pela justiça alemã, de três crimes de violação e dois de abusos sexuais de crianças em território português, alegadamente cometidos entre 2000 e 2017.

A procuradoria de Brunswick adiantou, no entanto, que as acusações então deduzidas contra Christian Brückner não se relacionam com o caso do desaparecimento de Maddie. Brückner seria julgado ainda este ano, mas o tribunal de Brunswick declarou-se incompetente, fazendo com que o principal suspeito do caso "Maddie" não seja julgado este ano na Alemanha pelos cinco casos de violação e agressão sexual que está acusado.

De acordo com o tribunal, a última morada conhecida do suspeito não estava sob a sua jurisdição. Por isso, a procuradoria de Brunswick, no norte da Alemanha, também deveria ser afastada das atuais investigações sobre o desaparecimento de Madeleine McCann, indicou o advogado do suspeito.

De acordo com a AFP, cabe aos outros tribunais regionais alemães - onde o suspeito morou - decidir se aceitam os casos.

O alemão Christian Brückner é o principal suspeito do homicídio de Madeleine McCann. Brückner vivia no Algarve na altura que a menina desapareceu e passava longas temporadas no Arade, junto à barragem, numa autocaravana. O pedófilo reincidente cumpre atualmente uma pena de sete anos de prisão na Alemanha pela violação de uma americana de 72 anos.

Madeleine McCann tinha três anos quando desapareceu do quarto onde dormia com os irmãos gémeos, num aldeamento turístico na Praia da Luz, em Lagos, na noite de 3 de maio de 2007.

(notícia atualizada às 11h40)

*com Lusa e AFP

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.