Esta 17.ª detenção relacionada com aquela investigação ocorreu no bairro de Rusholme, a sudeste de Manchester.

Salman Abedi, um britânico de origem líbia de 22 anos, fez explodir uma bomba à saída de um concerto da artista norte-americana Ariana Grande, matando 22 pessoas e ferindo 75 outras, muitas das quais crianças e jovens.

O atentado, reivindicado pelo grupo extremista Estado Islâmico, foi o mais mortífero no Reino Unido desde os ataques aos transportes de Londres em 2005, que causaram 52 mortos.

Onze homens, entre os 18 e os 44 anos, continuam detidos pela polícia britânica no âmbito da investigação, enquanto seis outras pessoas foram libertadas sem qualquer acusação.

Na quinta-feira, os investigadores de Manchester asseguraram ter conseguido “avanços significativos” no inquérito.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.